Philipsburg

Edifícios brancos e lojas encantadoras
Fortalezas holandesas e francesas
Casas em madeira e iates de luxo

Procurar cruzeiros nas Caraíbas, Cuba e Antilhas

Philipsburg

Ambientes do século XVII

Na sua viagem pelo mar das Caraíbas, após desembarcar do seu navio de cruzeiro no porto holandês de Philipsburg e de visitar o Tribunal, em pleno centro da cidade (um edifício azul e branco de 1793, onde agora funcionam os correios), não deixe de fazer uma excursão à parte francesa da ilha.

Marigot, a capital de São Martinho, situada na costa ocidental da ilha, está protegida pela enorme lagoa da Baía de Simpson e preservou o ambiente de finais do século XVII, quando foi fundada. Vale a pena visitar o centro histórico, coroado com casas em madeira e repleto de lojas encantadoras.


Em seguida, mime-se com uma excursão ao Forte St. Louis, construído numa colina a mando de Luís XVI. A partir dali, poderá admirar uma vista deslumbrante da Baía de Marigot e do seu clube de iates encantador, com as suas embarcações de luxo majestosas.


No entanto, poderá apreciar uma vista ainda melhor numa viagem ao Pic du Paradis, de onde poderá avistar terras tão distantes como Anguila, Saba, Santo Eustáquio e São Bartolomeu. Dado que ali o mar é o soberano, não perca as praias de São Martinho, a começar pela praia de Great Bay, um areal em forma de meia-lua de um quilómetro e meio de extensão em frente a Philipsburg. Se for além do património constituído pelo Fort Amsterdam (uma fortaleza holandesa construída em 1620 que apresenta uma exposição notável de achados históricos), chegará à praia recatada de Little Bay. A partir dali, poderá chegar à base da Cay Bay, brindada com um fundo do mar encantador e perfeito para mergulho com tubo.


Da capital, os surfistas e os jogadores de golfe rumam para oeste. Os primeiros seguem para as águas da Mullet Bay, e os segundos para o campo de golfe que fica logo atrás. Um pouco mais adiante, encontrará Cupecoy, esculpida na base de uma falésia, formando duas pequenas praias. Ainda mais adiante, na extremidade ocidental da ilha, fica Terre Basse, o território francês. Baie Longue, a maior praia de São Martinho, está situada a uma curta distância.

Lugares imperdíveis em Philipsburg

Conheça as nossas excursões

    São Martinho

    Praias de marfim e águas azul-turquesa
    Praias de marfim e águas azul-turquesa

    Uma ilha, duas identidades distintas Sint Maarten, a parte sul, pertence à Holanda ao passo que, a parte norte, Saint Martin, pertence a França.

    Num cruzeiro a São Martinho, desembarcará na parte holandesa de Philipsburg, a escassos quilómetros de distância do aeroporto. 

    A partir da encantadora praia Maho, situada numa das extremidades da pista de aterragem, poderá avistar os aviões a sobrevoar a praia: um autêntico panorama! 


    Seguindo para leste encontrará a enorme Baía de Simpson que oferece duas opções: pequeno-almoço no bar Yacht Club na Isle de Sol, onde estão atracados alguns dos mega-iates mais interessantes das Caraíbas; ou a praia de Kim Sha, com palmeiras, areia branca e águas azul-turquesa (caso esteja interessado noutras praias típicas das Caraíbas, siga para Bay Rouge, Plum Bay, Long Bay e Mullet Bay, que dispõem de comodidades turísticas). 


    Na parte francesa da ilha, a praia Orient, na Baía Orient, com vista para a ilha de Tintamarre, é a praia de nudismo que é, muito provavelmente, a praia naturista mais conhecida e apreciada das Caraíbas. 

    São Martinho também significa ir às compras. Na capital, Marigot, encontrará um mercado francês diário, e mais de 100 bancas à beira-mar repletas de especiarias, frutos e legumes, rum e artesanato local.