Fort Dauphin

Legado francês e português 
Uma aventura zoológica 
Uma estação na rota para as Índias

Procurar cruzeiros no Sul da África

Fort Dauphin

Uma reserva natural à espera de ser descoberta

Uma viagem com a MSC ao sul da África o levará à extremidade meridional da bela ilha de Madagascar. O navio atracará em Fort Dauphin (Tolagnaro). Como visto no que resta dos dois portos, um português, o outro, francês, Fort Dauphin guarda esse trecho do litoral, de onde navios saem para a Índia há 500 anos.

O nome colonial de Talognaro e seus nomes de ruas revelam as origens francesas desse pequeno porto, que, em sua condição atual, data do século XVII. Hoje, Fort Dauphin é, sobretudo, um excelente ponto de partida para excursões naturalistas oferecidas pela MSC Cruzeiros.

Algumas atrações turísticas imperdíveis que recomendamos nas férias em Fort Dauphin são os Jardins Botânicos Saiadi e o Jardim Botânico e Zoológico de Nahampoina (agora transformado oficialmente em reserva natural). Aqui, a 10 km da cidade, você poderá conhecer o que resta da flora original de Madagascar, além de admirar animais “caseiros” como tartarugas e outros répteis, além dos adoráveis lêmures.

Outra excursão leva o visitante a aproximadamente 85 km de Fort Dauphin à Reserva Privativa de Berenty. Ao longo das margens do rio Mandrare, é talvez a área protegida mais famosa de Madagascar.

Os protagonistas absolutos dessa reserva natural são, mais uma vez, os lêmures, dos quais há centenas, mas o visitante verá também morcegos-da-fruta e outros animais, enquanto caminha pelas trilhas da reserva em total segurança.

Outro lugar fascinante para visitar em uma excursão mais radical é "Baie des Galions", onde é possível ver os navios a vela carregados de tesouros e especiarias que se ultrapassaram próximo à praia de Fort Dauphin em meados da década de 1600.

Lugares imperdíveis em Fort Dauphin

Conheça as nossas excursões

    Madagascar

    Uma reserva natural do tamanho de um país
    Uma reserva natural do tamanho de um país

    Um cruzeiro para Madagascar em busca do incomum e do exótico raramente deixa a desejar. Este gigante e verdejante laboratório da teoria da evolução foi separado da África continental por tempo suficiente, tendo dado origem a uma surpreendente variedade de flora e fauna endêmicas.

    Muitas de suas espécies nativas são francamente bizarras, desde as imaculadamente camufladas lagartixas até os escabrosamente coloridos camaleões e sapos. Estrelas de uma viagem para Madagascar, e criaturas que todos querem ver, são os acrobáticos lêmures com seus olhos lustrosos e engraçadinhos.

    Até mesmo as paisagens são um pouco estranhas – passeie muito e você se maravilhará com as montanhas estranhas, com cumes e colinas irregulares e com os baobás troncudos de Madagascar. A cultura de Madagascar também é muito característica. Muitos dos costumes linguísticos e rituais dos primeiros habitantes da ilha, que foram os malaio-polinésios, permanecem até hoje. Os visitantes ouvirão falar muito nos fady, que significam taboos – atos que devem ser evitados com receio de ofender os ancestrais e de desequilibrar o mundo natural.

    Apontar para objetos sagrados ou tomar banho em certos rios, por exemplo, são fady. Ao respeitar estas convenções você ganhará respeito e isso é essencial se você for convidado para um ritual tradicional como os Famadihana, a Virada dos Ossos.